Lodo do 13º Fórum de Governadores da Amazônia

 Notícias

Amapá, Pará e Amazonas definem propostas para o fortalecimento da assistência à saúde

Secretários do Amapá, Pará e Amazonas construíram uma agenda comum, que será levada ao Fórum de Governadores, nesta sexta

Secretários do Amapá, Pará e Amazonas construíram uma agenda comum, que será levada ao Fórum de Governadores, nesta sexta

O Fórum Integrado pelo Desenvolvimento Social da Amazônia, sediado no Amapá pontuou, na tarde desta quinta-feira, 26, durante a Câmara Temática da Saúde, assuntos importantes para o fortalecimento das ações em saúde comuns entre os estados que compõem a Amazônia Legal. As propostas serão apresentadas durante o 13º Fórum de Governadores, nesta sexta-feira, 27.

Além de fortalecer a importância da atenção à criança da Amazônia, os secretários estaduais de Saúde do Amapá, Pará e Amazonas construíram uma agenda de melhorias com foco nas condições regionais. A exemplo disso, a formação de Consórcios Interfederativos para aquisição de medicamentos de alto custo com ênfase na Oncologia.

"A logística é um problema comum entre os estados do Norte, que eleva alguns custos. Com a realização de consórcios será possível reduzir significativamente os custos de medicamentos em até 40%", informou o secretário de Estado da Saúde do Pará, Vitor Mateus.

Outra proposta elencada é a ampliação ou implantação do sistema de Telessaúde, que tem como principal vantagem a melhoria do acesso a diagnósticos essenciais à atenção à saúde, especialmente para moradores de localidades mais distantes. O estado do Amazonas possui experiência na área e já realizou mais de 10 mil laudos nas especialidades de cardiologia e radiologia.

O financiamento diferenciado do governo federal para repasse de cotas aos estados também é uma proposta que os governadores devem levar para discussão junto ao governo federal. No ranking dos estados que recebem recursos federais, os da Amazônia têm os mais baixos índices em comparação às outras regiões, chegando a receber globalmente R$ 160 reais por habitante, quando a média nacional é R$ 210.

"É preciso que o governo federal olhe para os estados da região amazônica com diferencial para elevar a renda per capta e com isso dar mais condições de acesso no custeio dos hospitais para a população ser bem assistida", acrescentou o secretário de saúde do Amazonas, Pedro Elias.

Também foram propostos temas relacionados ao fortalecimento da regionalização da assistência à saúde com foco nas Redes Temáticas e Linhas de Cuidado, o desenvolvimento de ações preventivas para reduzir a mortalidade infantil e a ampliação do atendimento nas fronteiras internacionais e nas divisas entre os Estados.

"Temos como entendimento que diversos pontos são comuns entre os estados da Região Norte e da Amazônia Legal, e este encontro foi fundamental para levantarmos propostas em busca de soluções conjuntas para o fortalecimento da assistência à saúde da nossa população", finalizou o secretário de Atenção à Saúde do Amapá, Álvaro Pereira.